A nomofobia e a dependência da conexão

O prazer em estar conectado na internet pode ser a causa de diversas doenças mentais.
Por Angela Caritá, Helena Figueroa, Julia Palmieri, Pedro Cantelli e Tiago Tortella.
Fonte: O tempo/Reprodução

O acesso à internet está sempre ao alcance de nossas mãos com os aparelhos celulares. A conexão em rede tornou-se onipresente na rotina das pessoas. “Às vezes a pessoa quando está sem o celular sente que está ‘faltando um pedaço dela’, o celular virou uma extensão do corpo”, declara a psicóloga Marina Bettine. Assim, esse aparelho parece ser cada vez mais necessário na vida cotidiana das pessoas, tendo várias utilidades empregadas.

Tudo pode ser feito pelo celular: assistir a séries, ler livros, acessar portais de notícia, fazer compras, aprender uma nova língua, pagar contas, estudar ou, simplesmente, rolar o feed do Instagram. Um levantamento feito pela Hootsuite mostrou que, em média, os internautas brasileiros passam 9 horas e 14 minutos por dia conectados, revelando, assim, um perfil da sociedade brasileira.

Os algoritmos dos aplicativos procuram fazer com que os usuários passem mais tempo online e se encontrem em certo comodismo, assim, acessando o que mais gostam. Diante da sensação de prazer constante ao estar conectado,ele não é capaz de perceber os efeitos negativos deste simples hábito. Muitas vezes, ao estar desconectado, desenvolve-se sentimentos de angústia e frustração e o medo de estar perdendo alguma coisa (Fomo).

“O indivíduo que recebe uma recompensa (uma demonstração positiva de estima social ou uma bala, por exemplo) sempre que faz algo tende a repetir o ato. Quando recebem uma resposta lisonjeira a alguma publicação nas redes sociais, as pessoas adquirem o hábito de postar mais.” diz o cientista da computação Jaron Lanier, autor do livro Dez Argumentos Para Você Desativar Agora Suas Redes Sociais (2018).

O que acontece no cérebro é que é ativado o “sistema de recompensa cerebral” (SRC). A função dele é ajudar a manutenção da vida; quando é ativado, em decorrência da liberação do neurotransmissor dopamina, ele proporciona sensações de prazer e satisfação. Dessa forma, as dependências comportamentais podem levar a uma hiperatividade contínua do SRC, gerando danos no cérebro e o vício.“Assim como qualquer vício, o celular tem como principal fator proporcionar prazer para as pessoas. O vício é a busca do prazer por algo”, explica Marina. O livre acesso à internet por meio dos aparelhos celulares fomenta essa situação.

De acordo com a psicanálise de Freud, o princípio de prazer é a busca instintiva por ele de forma a satisfazer as necessidades biológicas e psicológicas. O prazer é a força que guia a personalidade e os impulsos na vida de um ser humano. “A saída da realidade em busca de algo que faça você mais feliz e confortável é um dos motivos que pode causar o vício“, explica Marina. Dessa forma, a pessoa se mantém conectada na internet para se manter desligada do mundo real.

Precisamos lhe dar uma pequena dose de dopamina de vez em quando, porque alguém deu like ou comentou em uma foto ou uma postagem (…) Isso é um circuito de feedback de validação social” disse Lanier.

 Uma dependência comportamental causada pelo uso prolongado das redes é a nomofobia, que é fobia de permanecer sem conexão móvel, o medo irracional de estar longe de aparelhos eletrônicos em decorrência do vício. A abstinência de aparelhos celulares se assemelha, preocupantemente, às síndromes de abstinência de drogas. Assim como viciados em substâncias entorpecentes, os viciados em celular, na ausência do dispositivo, podem apresentar taquicardia, sudorese, irritabilidade, impaciência e pânico. Em decorrência disso, a nomofobia muitas vezes se soma à ansiedade, fobia social, entre outros distúrbios, agravando a situação do dependente. 

Além doenças já citadas, há pelo menos 7 outras novas psicopatologias causadas pelo uso excessivo da internet. A síndrome do toque fantasma, por exemplo, é a impressão de que seu celular esteja vibrando mesmo que não esteja. Nesse link, é possível conhecer as outras doenças. 

Siga-nos nas redes sociais

2 comentários em “A nomofobia e a dependência da conexão”

  1. Pingback: 8 dicas para reduzir o uso do celular e da internet - Factual 900

  2. Olá! Tudo na paz? Quero dizer que gostei muito do conteúdo contido nesse post (texto). Concordo com tudo que foi explanado aqui… Gostaria de dizer que escrevi, compus e gravei minha nova música do 11ºcd da minha carreira que tem como tema: “CELULAR – Nomofobia – Ninno Junior. Quero também compartilhar com vocês ok? Por gentileza dêem uma analisada na letra e preste muita atenção nesse clipe. Gratidão e fiquem todos com DEUS.
    1ª YouTube: https://bit.ly/2GypZu0
    2ª Palco MP3: https://www.palcomp3.com.br/ninnojunior/discografia/ninno-junior-celular-nomofobia/
    3ª SoundCloud: https://soundcloud.com/ninnojunior/celular-nomofobia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *