3 ideias que orientam o consumo sustentável

Minimalismo, essencialismo e Lagom: conheça cada uma delas

A cultura do mundo está mudando. As pessoas estão descobrindo que possuir menos coisas pode levar a uma vida mais simples e saudável. A idéia de viver com menos tem muitos nomes, mas minimalismo, essencialismo e Lagom são alguns rótulos comuns. São ideias que orientam o consumo sustentável.

Algumas pessoas que descobriram essa leveza chamam isso de “simplicidade”. Outras pessoas a associam com a falta de coisas em excesso, mas preferem saudar a doce lentidão que possuir menos trouxe para suas vidas. Essas idéias estão conectadas ao movimento “irmão” do minimalismo: o slow movement, por uma “vida lenta”. 

Mesmo dentro do movimento mais amplo do minimalismo, muitas pessoas gostam da ideia  de minimizar seus pertences, mas não se sentem confortáveis ​​em acenar com a “bandeira do minimalismo”. 

Os princípios do essencialismo e da palavra sueca Lagom são versões mais suaves do minimalismo, mas mantêm a mesma verdade. Veja o que cada um deles significa:

Minimalismo

O minimalismo costuma trazer à mente imagens nítidas de salas vazias, paredes brancas e uma lista de posses composta por uma colher e uma cadeira. Embora a quantidade mínima de pertences defina o minimalismo para muitos, ele pode ser muito diferente dependendo da pessoa. 

O movimento da década passada personalizou e suavizou o termo. Embora a palavra “minimalismo” implique a menor quantidade absoluta de coisas, seu verdadeiro foco está nos valores pessoais em vez do número de itens individuais de propriedade. O que você quer da vida? Viver com menos coisas materiais pode ser um veículo confiável para chegar lá. Esse foco no resultado do estilo de vida é o coração do minimalismo moderno.

Essencialismo

O essencialismo é uma idéia desenvolvida por Greg McKeown em seu livro Essencialismo: a busca disciplinada de menos. O autor argumenta que ser essencialista é viver a vida com o lema “menos, mas melhor”. 

A ideia é valorizar a qualidade acima da quantidade. O essencialismo reduz os pertences desnecessários, os compromissos de tempo e os focos mentais para permitir que a pessoa faça sua “maior contribuição possível” ao mundo. Em outras palavras, o essencialismo ajuda a dar à vida o seu melhor possível com menos.

“Essencialismo: a busca disciplinada por menos”, livro do autor britânico Greg McKeown

Lagom

Lagom é um termo sueco que quer dizer “apenas o suficiente” – nem muito pouco, nem muito. A maior inspiração do design sueco, o lagom valoriza a simplicidade e o conforto. O lagom desaprova o excesso de trabalho e permite que as pausas do meio do dia relaxem a mente e aumentem a eficiência. (Leia mais sobre Lagom aqui, em inglês).

A ideia pode ser aplicada a bens materiais, porque, enquanto o excesso tira o lagom do equilíbrio, a escassez também. O ponto de equilíbrio de apenas o suficiente é diferente para cada indivíduo. 

“Lagom: A Arte Sueca para uma Vida Equilibrada”, livro da sueca Linnea Dunne

Por que são ideias que orientam o consumo sustentável?

Essas descrições são simplificadas. Independentemente do rótulo, os movimentos do Lagom, minimalismo e essencialismo impulsionam uma mensagem semelhante: a de que a vida é preciosa e curta demais para desperdiçá-la com o mero acúmulo e o gerenciamento de coisas. 

Todas estas ideias podem ser vistas como vertentes da sustentabilidade, por serem modalidades de consumo sustentável, movidas pela preocupação com o meio ambiente, quando relacionado à redução do uso irracional de recursos naturais e à diminuição da produção de resíduos e emissão de gases poluentes. 

As práticas relacionadas a estes movimentos também impactam a sociedade, pois desestimulam a compra de produtos fabricados em países onde as condições de trabalho podem ser classificadas como análogas à escravidão, e incentivam a produção em pequena escala, feita por pequenos produtores com cuidado desde a escolha da matéria-prima até o meio de distribuição das mercadorias. 

Estes movimentos estão conectados à ideia de sustentabilidade, mas é possível ser sustentável, mesmo que você não se identifique integralmente com eles. 

>> Para entender mais sobre como ser sustentável, a Factual900 entrevistou a Gabriela Vilela, praticante experiente de reciclagem.

Leia em breve na Factual:
Como ser sustentável no dia a dia?
Por onde começar a ser sustentável?

Siga-nos nas redes sociais

1 comentário em “3 ideias que orientam o consumo sustentável”

  1. Pingback: Minimalismo: aplicação e relação com sustentabilidade - Factual 900

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *