A profissionalização de tatuadores no Brasil

Tatuagem, Tatuador, Braço
A profissão de tatuador se tornou mais exigente nos últimos anos

De uma forma de expressão a um processo profissional

As tatuagens representam uma das formas de expressão artísticas mais presentes na trajetória da humanidade. Sua história evidencia que, muitas vezes, foram utilizadas para manifestar ideias, valores ou crenças culturais. Entretanto, enquanto há quem tenha interesse em marcar o corpo com algum desenho, há outros que desejam passar por um processo de profissionalização de tatuadores.

Atualmente, os tatuadores não têm de lidar apenas com uma ampla quantidade de normas a serem seguidas para manter um estúdio de tatuagens, mas também com uma alta de exigência dos clientes quanto à qualificação. Assim, a especialização e a profissionalização acabam sendo a melhor saída para os interessados em trabalhar na área. Mas como será que esse processo acontece no Brasil?

Etapas para a profissionalização de tatuadores

A princípio, assim como a maioria das profissões, é preciso que o tatuador reúna um bom portfólio. Segundo o site Findtattoo, um aglomerado de suas principais realizações é importante para demonstrar sua experiência na área e elevar a qualidade de seus feitos. 

 Além disso, é necessário realizar um curso para se profissionalizar. No curso, o tatuador convive com alunos e professores, ampliando sua visão sobre como é trabalhar com a execução de tatuagens, além de trocar informações e aprender o essencial para sua formação profissional. 

Outro benefício de fazer um curso de tatuagens é o networking. Por meio do contato com profissionais da área, torna-se mais fácil conseguir um emprego, divulgar seu trabalho e estabelecer parcerias primordiais para sua carreira.

Em geral, os interessados aprende a prática em cursos de rápida duração. De acordo com o site Amotatuagem, a maioria das aulas dos cursos acontecem uma ou duas vezes por semana, tendo cerca de duas horas de duração. Dependendo do planejamento da escola, os cursos podem ser concluídos entre três e seis meses, em média, e os alunos ganham um certificado profissional, atestando a qualificação dos que o fizeram. 

Artista, Tatuagem, Criativa, Tatuador
Um portfólio em um curso são essenciais para a profissionalização

Entrevistas com tatuadores profissionais

A equipe da Factual 900 conversou com Rômulo Araújo, tatuador e professor do curso de tatuagem RM Academy; e Ítalo Alves, tatuador do estúdio Nave Tattoo, para que falassem sobre os processos de profissionalização de tatuadores na atualidade.

Rômulo falou que, após sair de seu emprego anterior, fez um curso para se tornar tatuador e professor. “Sempre gostei de desenhar e isso me levou a cursar arquitetura. Já trabalhando como arquiteto, percebi que não estava contente no meu ofício e resolvi trabalhar com algo mais prazeroso para mim”, explica. “A tatuagem se apresentou como opção sedutora. Reuni um portfólio e conversei com artistas experientes.” Ele passou, então, a tatuar em Brasília, na Chaos Tech, do tatuador profissional Jaime Guilherme.

“O professor surgiu pouco depois. Na busca por refinamento acabei conhecendo o Renan Marin (sócio fundador da RM Academy), antes do nascimento da escola em que trabalho hoje. Fiz o curso dele atuando como aluno e monitor, em uma turma-teste. Ao fim desse curso fui convidado a integrar o estúdio como tatuador e professor e acabei ficando em São Paulo”, completou Rômulo.

Escolas profissionalizantes para tatuadores

Quanto aos cursos profissionalizantes, apesar dos benefícios que eles trazem, ambos afirmam que ainda existem adversidades prejudicais à formação dos tatuadores. Rômulo acredita que há poucos cursos voltados para profissionalização dos tatuadores. “O problema é que as escolas são um advento bastante recente. Até onde eu sei, nossos concorrentes presenciais são contáveis nos dedos de uma mão”.

Ítalo, por outro lado, acredita que o problema está no fato de as escolas se preocuparem mais no que está fazendo sucesso no momento do que com princípios básicos para a formação dos alunos. “Os cursos de tatuagem focam mais na estética contemporânea e esquecem de ensinar aos tatuadores princípios como a anatomia do corpo, os melhores desenhos, a melhor forma de aplicá-los sobre a pele, entre outros, formando tatuadores sem cultura”.

Futuro da tatuagem

Nesse sentido, a profissionalização de tatuadores certamente é algo positivo, já que existem pessoas com interesse em se aprofundar nesse novo mercado. Como Ítalo Alves pontuou, a tatuagem vai além de apenas algo estético e pode ser entendido como um significativo e valoroso fenômeno cultural.

Assim, para que sua execução e seu processo de profissionalização aconteçam de forma mais eficiente, é necessário a criação de mais cursos profissionalizantes e um refinamento daqueles que já existem. Desse modo, a área conseguirá evoluir dentro do país tanto socialmente quanto culturalmente.

Siga-nos nas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *